Singular Publicações | Ampliando o conhecimento, a percepção e a consciência.

@ Todos os direitos reservados 
Nome literário: EUGÉNIO DE SÁ
Membro Efectivo da APP – Associação Portuguesa de Poetas; Académico da AVBL - Academia Virtual Brasileira de Letras; Académico fundador da extinta AVPB e da actual AVBAP – Academia Virtual Brasileira Arte e Poesia; presidente para Portugal da Organização Mundial de Trovadores. Nasceu em 1945, no típico bairro da Ajuda, em Lisboa, Portugal. Lisboa está-me nas veias, tal como a literatura e a poesia, que sempre me cativaram o espírito. Por circunstâncias da vida familiar, cedo conheci Sintra, onde vivi e estudei durante toda a fase do ensino secundário. Uma vila encantada, que ainda hoje visito regularmente. A frequência do Instituto Comercial levou-me ao quotidiano da capital, até que chegou o tempo de cumprir o serviço militar na Força Aérea Portuguesa, corria então o ano de 1963. Durante a guerra colonial fui destacado para a Guiné - Bissau como oficial de ligação e instrutor de radar de intercepção. Hábitos de leitura, a que uma avó querida não é alheia, dotaram-me de vontade e gosto pelo conhecimento, que ainda hoje cultivo. Trabalhei 37 anos em diferentes Órgãos de Comunicação e em duas Agências de Publicidade multinacionais. Toda uma vida profissional rica em experiências e relacionamento humano.O deslumbramento pela poesia chegou em 1968, trazida num livrinho que recebi das mãos de José Saramago, então colaborador do Jornal A Capital, onde iniciei a minha actividade de comunicador, a que me dediquei largos anos. Todavia, só em 1999 comecei a escrever poesia. Na última década, metade foi passada na América do Sul, entre Brasil e Colômbia, onde reuni material e experiência para escrever um livro. Provavelmente será um livro de crónicas, género literário onde estou mais à vontade, e que me permita reunir num único volume um conjunto de textos escolhidos que abordam o comportamento humano face às várias culturas que conheci na Europa, em África e na América do Sul. Em Abril de 2011 regressei definitivamente a Portugal.
 
 
 

Manuel Eugénio Angeja de Sá | Reflexões