"Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos
perseguem e caluniam." 

                                                 Jesus 

Joanna de Ângelis nos diz que “a coincidência é a presença discreta de Deus propositadamente programada para dar certo na hora exata e nas circunstâncias ideais”.

 

Neste mês de maio, apresento-lhes a Revista Doutrina, nº 2. Coletivamente inspirados pelos amigos do bem sem qualquer interferência, abordamos o amor e as várias vertentes de como entendê-lo dentro de temas tão distintos que nos levam a pensar no equilíbrio entre o bem e o mal, na força moral e na integridade espiritual da essência individualizada de cada um de nós. 


     Nada como um bate-papo com Eurípedes Higino, filho de coração de Chico Xavier, o apóstolo de Jesus no Brasil, maior exemplo da prática diária de amor e caridade. Em Lesões Afetivas e Busca Inconsciente, danos e sequelas difíceis de reparação. Já a aberração persistente do ódio nos desperta a avaliar: até quando permaneceremos no erro?


Em As Missionárias, destacamos Maria de Nazaré e sua missão como mãe. Nesta edição, Maria Madalena e sua antiodisseia de discípula amada, Maria de Magdala, a mulher divinamente humana, a encarnação mais pura do amor. Nova visão dos ensinamentos do Evangelho nas telas de cinema em Fatos e Acontecimentos; e em Ciência, a Semiótica. Em Amor em Ação, Saúde e Espiritualidade e Medicina Espírita, destacam-se os cuidados e a relação entre doença e doentes. A Ética Humana é enaltecida, vista pelas obras literárias de Eça de Queiroz. A Ética Animal na preservação da criação avançando e ganhando causas em nível mundial nos traz alento. Direitos Sociais, Reflexões, Almanaque, Mitos e Paradigmas, Conscienciologia, Ufoarqueologia e Paranormalidade merecem atenção e pausa: Não estamos sozinhos, o que realmente somos e o que queremos ser?


Trazemos como cultura as religiões do budismo e do hinduísmo, mais a reforma protestante.
Aos queridos autores de Portugal, das cidades de Cascais, Sintra e Angra do Heroísmo, nosso sincero agradecimento pela participação com belos textos sobre Hipócrates, Deus ainda está no coração dos homens e Inácio Bittencourt, o médium de cura.
Costumo dizer que o conhecimento é libertador. Saber ensinar também faz parte do aprendizado. Sempre teremos frases e pensamentos de filósofos da humanidade e psicografias de apoio como afirmativas divinas. 


Finalizo com a máxima de Jesus: “Por tuas palavras serás julgado e por tuas palavras serás condenado”. (Mateus 12:37) 


Ressalvo que o único caminho é a orientação necessária a condutas diárias e incessantes no que tange a seguir os seus ensinamentos com a instrução. As virtudes conquistadas serão pequenos degraus rumo à evolução. A prática do amor, a verdadeira caridade como comportamento permanente sem esperar deste ato qualquer retorno é emancipação da alma.
 

Fiquem em paz e até a próxima!
Andrea Melleu | Editora

Editorial Ano I, Nº 2 | Lesões Afetivas